Ex: Aj Styles, CM Punk, WWE, All Elite Wrestling e etc...

Comentários e Notas: ROH Glory By Honor 2021

Nos últimos dias 20 e 21 de agosto, a Ring of Honor realizou as duas noites de seu mais recente evento especial, o Glory By Honor. Em duas noites cheias de ação, a empresa apresentou 16 combates de qualidade… mas será que foram mesmo ? Bem-vindos a primeira edição do remodelado Mendes Review, agora com uma nova dinâmica onde eu consigo me expressar do melhor jeito pra vocês sendo apenas eu mesmo.

Antes de começarmos, deixa eu dar um recado importante: O sistema de notas aqui NÃO reflete sobre o que essas lutas aqui foram se comparadas com outras. Explicando melhor, não é porque uma luta aqui é nota 10 que ela se compara com lutas que foram 5 estrelas, nada disso, porém, pro padrão que o evento se propôs a apresentar, ela foi nota 10, deu pra entender direitinho ? Sem mais delongas, bora lá:

Noite 1

Rey Horus vs. Silas Young

Foi uma boa luta se considerarmos que foi pra abrir a primeira noite do evento. Young sempre um bom trabalho como heel e o Rey é bem fluído em todas as lutas que participa, ele sempre parece encaixar. Ele dominou a luta e o jeito Young de vencer foi bem legal, mas a luta em si não teve nada de incrível, serviu bem pra aquecer.

Vencedor: Silas Young – Nota: 6/10

Six-Man Mayhem

Uma luta com seis caras bem diferentes entre si é sempre muito legal de assistir e os nossos participantes aqui contribuíram pra isso. Talvez tenha sido um pouco mais longa do que deveria, mas isso não tira os méritos dela. Confesso que fiquei bem surpreso de ver o Danhausen levando o pin, mas a gente releva porque foi justamente pro Demonic Flamita que tá em uma grande ascensão.

Vencedor: Demonic Flamita – Nota: 7,5/10

The Allure vs. Vita VonStarr e Max The Impaler

Bom, a gente pode resumir essa luta aqui em ser uma ponte pra elevar a Vita e a Max, nada mais do que isso. Claramente a pior luta da noite, só serviu pra gente conseguir enxergar a Max como a ameaça que tentam fazer ela ser mas ela já é vista assim, então foi meio sem sentido. E não, não tem como, a Angelina Love e a Mandy Leon são bem desinteressantes.

Vencedoras: Max The Impaler e Vita VonStarr – Nota: 4/10

Brian Johnson vs. EC3

Por ser nativo dali, o público presente ficou bastante ao lado do Johnson e foi bem legal ver ele tentando superar o EC3 quando parecia que não ia dar, sabe ? Porém, é aquela velha questão de que a luta foi legal pelo Johnson, porque o EC3 continua sendo bem chato e a ROH aparentemente não enxerga isso, já que fica apostando suas fichas nele. Ele cumpre o papel dele de heel muito bem, mas até nisso ele fica chato durante as lutas.

Vencedor: EC3 – Nota: 6/10

Bateman vs. Mark Briscoe

Originalmente era pra ser uma luta de duplas, mas um dos integrantes aparentemente testou positivo para COVID-19 e a luta foi remodelada. Caso fosse de duplas, também teria sido uma luta bem aleatória, mas foi interessante de assistir. O Mark já tá bem caído em 2021, mas ele fez um bom papel e o Bateman manteve a média boa de sempre.

Vencedor: Mark Briscoe – Nota: 5/10

Jonathan Gresham vs. Rhett Titus

Uma das melhores lutas da noite, é sempre muito interessante ver como a ROH aplica esse conceito de Pure Rules. Poderia ter sido melhor, é claro, mas foi mais uma boa defesa do Pure Title que atualmente é do Gresham. O final foi um pouco broxante porque a luta estava ficando bem melhor e, levando em consideração as Pure Rules, um final com submissão ou um pin após um finisher seria mais condizente.

Vencedor: Jonathan Gresham – Nota: 7,5/10

La Faccion Ingobernable vs. Violence Unlimited

A melhor luta da noite disparada, não tem nem o que discutir. Começou como uma 8-Man normal, foi interrompida e reiniciada como uma Philadelphia Street Fight, muito bacana. Dragon Lee e Tony Deppen foram novamente os destaques e, alguns spots, principalmente aquele da mesa no lado de fora do ringue, foram muito bons. Com alguns erros de timing bem errado, mas foi bem satisfatória pro que já tínhamos visto.

Vencedores: Violence Unlimited – Nota: 8,5/10

Bandido vs. Flip Gordon

Bom, essa luta aqui foi um pouquinho decepcionante, pra falar a verdade. Não que a luta tenha sido ruim, longe disso, mas a ação que rolou dentro do ringue pode ser definida em ok, nada que seja do nível Bandido e foi uma primeira defesa de título bem morna. O outro problema é que já tava na cara que o Gordon não ia vencer, o heel turn dele foi bem mediano e desde então nada que ele fez foi bom ou relevante.

Vencedor: Bandido – Nota: 7/10

Noite 2

Dalton Castle vs. Danhausen

Mais uma vez uma luta que abriu bem o show e foi boa pra aquecer. Danhausen tem um baita trabalho de personagem e ele vai melhorando conforme o tempo, gosto disso. Não tivemos muitos spots especiais e a luta até que foi meio parada em alguns pontos, mas precisamos lembrar que era pra abrir o show, então, passa batido.

Vencedor: Dalton Castle – Nota: 6/10

LSG vs. World Famous CB

Novamente uma boa Pure Rules Match e novamente temos um final ruim. Eu gosto de Roll-ups, mas eles tem um certo jeito pra funcionar e aqui não fez sentido, não pra mim e nem pras Pure Rules. Foi importante pra dar mais densidade ao card e coisas assim, mas nada que fosse genuinamente algo a se destacar aqui.

Vencedor: LSG – Nota: 5,5/10

Chelsea Green e Willow vs. Miranda Alize e Rok-C

Essa aqui foi uma boa luta, bem melhor do que a da noite anterior, mas foi só isso. Não tinha muita história envolvida aqui no meio, então foi mais pra entreter do que outra coisa. A Rok-C ainda parece um pouco ver com relação aos golpes, mas em breve ela pega o jeito. Willow Nightingale é um destaque porque ela mandou muito bem aqui, soube ditar a luta quando era a vez dela, tem bastante futuro.

Vencedoras: Alize e Rok-C – Nota: 6/10

Shane Taylor Promotions vs. Incoherence

Shane Taylor Promotions é uma das melhores coisas que podemos ver na Ring of Honor e já vem sendo assim por um bom tempo. Até me surpreendeu se formos analisar os integrantes da Incoherence, mas eles proporcionaram boas sequências e elevaram bem o nível da luta. Fiquei bem conectado com a luta e isso conseguiu deixar ela em um patamar mais alto pra mim. O que vem por aí para os grupos ? Bom, definitivamente não sei.

Vencedores: Shane Taylor Promotions – Nota: 7,5/10

Demonic Flamita e Flip Gordon vs. Brian Johnson e Mark Briscoe

Mais uma vez sem Jay Briscoe, mas Brian Johnson estava lá para salvar o nosso tempo. Foi uma das melhoras da segunda noite, sem dúvidas, e deu pra se entreter com ela. Foi uma luta toda do Johnson, ele foi o destaque por aqui mesmo com o Flamita em uma boa ascensão. Eles trabalharam bem juntos e parece que Jonhson provou que pode ser colocado em histórias mais relevantes de agora em diante.

Vencedores: Brian Johnson e Mark Briscoe – Nota: 7/10

The Foundation vs. Violence Unlimited

Lutas com bastante gente são sempre bem complicadas de conseguir contar uma história que esteja envolvida ali, mas essa aqui não teve esse problema. Mesmo tendo um tempo até baixo de só 16 minutos, foi um bom trabalho feito entre os dois grupos. A parte mais notável foi o Lethal tentando se vingar do Brody e ele só ignorando o careca, foi bacana de ver. Achei que a VU fosse vencer, mas acabou que os “puros” se deram melhor.

Vencedores: The Foundation – Nota: 8/10

Bandido e Rey Horus vs. Dragon Lee e RUSH

Uma boa luta com bons integrantes, parece que o Lee e o RUSH se entregam mais nas lutas quando eles precisam enfrentar gente do mesmo país que eles, bem conveniente se parar pra pensar. Os quatro colaboraram bastante pra dar um gás nessa luta, gostei de ver como funcionou. Depois da luta média contra Flip Gordon na última noite, Bandido ficou mais apagado enquanto Rey foi quem brilhou de verdade na luta. Minha única preocupação é que o Bandido defenda o World Title com sucesso mais uma vez e o RUSH venha atrás, ainda tá cedo pra isso.

Vencedores: Dragon Lee e RUSH – Nota: 7/10

Matt Taven vs. Vincent

Bom, vou ser honesto aqui e já dizer que eu não sou fã de nenhum dos dois manos aqui, mas eles se esforçaram bastante. Eu não fiquei muito envolvido na storyline em si, mas eles deram tudo o que tinham pra entregar uma boa luta. Foi bacana de ver, com vários saltos de cima da jaula (até demais) e até spots com arame farpado, bem boa. A aparição da Vita também intensificou bastante o “sentimento” da luta, foi bacana.

Vencedor: Vincent – Nota: 8/10

Pra mim, a nota geral do evento foi 7. Concorda ou não ? Coloca sua opinião aí nos comentários e bora discutir saudavelmente, belezinha ? Até mais!

Contato | Politica de Privacidade | Sobre nós | Equipe | Anuncie
Copyright (c) 2010-2021 Wrestling Noticias - Todos direitos reservados