Ex: Aj Styles, CM Punk, WWE, All Elite Wrestling e etc...

Comentários e Notas: WWE NXT Stand & Deliver 2022

No último dia 2 de abril, o   realizou mais um de seus grandes eventos, o Stand & Deliver. Em uma tarde cheia de ação, a marca apresentou 7 combates de qualidade… mas será que foram mesmo ? Bem-vindos a mais uma edição do Comentários e Notas, o quadro onde avaliamos as lutas dos principais eventos das principais empresas atualmente no pro-wrestling.

Antes de começarmos, deixa eu dar um recado importante: O sistema de notas NÃO reflete sobre o que essas lutas aqui foram se comparadas com outras. Explicando melhor, não é porque uma luta aqui é nota 10 que ela se compara com lutas que foram 5 estrelas, nada disso, porém, pro padrão que o evento se propôs a apresentar, ela foi nota 10, deu pra entender direitinho ? Sem mais delongas, bora lá:

Dakota Kai e Raquel Gonzalez vs. Toxic Attraction

Essa luta foi basicamente o que se esperava, com as campeãs sendo as heels que se exibem muito e perdendo por distração. A equipe correta venceu em uma luta que, apesar de alguns errinhos aqui e ali, foi basicona. Jayne levar o pinfall foi a decisão correta, já que seria muito mais prejudicial para Gigi. Essa luta poderia ter sido melhor se o público realmente estivesse assistindo ao show, já que a arena ficou bem quieta.

Vencedoras: Dakota Kai e Raquel Gonzalez – Nota: 5,5/10

Ladder Match

Com um horário de início tão cedo, eram necessárias as acrobacias mais doidas para acordar o público, mesmo que a quantidade de gente dentro e fora do ringue tornasse tudo muito confuso até mesmo para os lutadores envolvidos. Todos tiveram grandes atuações e, mesmo com Waller e Sikoa tomando os golpes mais duros, Escobar foi definitivamente o nome da luta. Muitas eram as opções quem acabaria vencendo e ver Carmelo continuar com o cinturão não seria ruim, mas a vitória de Grimes foi a escolha mais correta e fechou com chave de ouro uma ótima luta.

Vencedor: Cameron Grimes – Nota: 8/10

Tommaso Ciampa vs. Tony D’Angelo

Bom, aqui tivemos um final decepcionante para a gloriosa jornada de Tommaso Ciampa no . Angelo não é ruim, mas ainda está longe de ser muito bom e Ciampa precisava enfrentar alguém que o ajudasse a criar um grande show, não alguém que está chegando agora e ainda não está no nível certo. A luta em si não foi ruim, mas ela vai ficar conhecida como esquecível porque nada, tirando o retorno de após o final dela, vai ser lembrado. Só mais uma luta, que não foi o que ninguém queria para a última de Ciampa.

Vencedor: Tony D’Angelo – Nota: 6/10

Creed Brothers vs. Imperium vs. MSK

Aqui tivemos a segunda melhor luta da noite pra mim. A Imperium carregou o máximo aqui e teve um ótimo desempenho. Os Creeds apresentaram seu melhor desempenho até então (A da Gauntlet também foi legal), mas ainda precisam aprender a cadenciar melhor os golpes e aí sim eles vão deslanchar. Já os MSK, bom, a luta ocorreu antes das polêmicas do Nash Caster e eu gostei de vê-los com os cinturões outra vez, mas tudo foi pelo ralo e agora quem vai se ferrar sozinho no é o Wes Lee.

Vencedores: MSK – Nota: 7,5/10

Cora Jade vs. Io Shirai vs. Kay Lee Ray vs. Mandy Rose

Uma boa luta. Mandy Rose saiu com o cinturão de uma maneira menos óbvia do que o normal, já que ela acertou o finisher na oponente ao invés de roubar o pinfall de alguém, e isso a elevou para os fãs de alguma maneira. Kay Lee Ray se entregou completamente pelo bem da luta, recebendo os golpes mais duros da luta ao lado de Cora Jade, que foi um destaque e em breve será a campeã. Eu não sabia até o último segundo quem sairia com o título e esse foi um critério muito importante para a construção dessa luta como um todo.

Vencedora: Mandy Rose – Nota: 7/10

Gunther vs. LA Knight

Aqui tivemos outra decepção, pois tinha potencial para ser uma grande luta e acabou sendo bem mediana. Primeiro, quero dizer que trocar a música tema da Imperium é uma decisão diabólica, mas acontece. Na luta em si, não foi um squash como muitos esperavam e eu até agradeço, porque teria sido pior. Eu não sei bem o que aconteceu nas lutas do Gunther com o Solo Sikoa e contra o LA aqui, mas até mesmo a curta luta contra o Duke Hudson foi mais emocionante. Agora com os dois envolvidos no main roster, duvido que tenhamos uma revanche.

Vencedor: Gunther – Nota: 6/10

Bron Breakker vs. Dolph Ziggler

Talvez a luta mais “inacabada” do show foi o que tivemos no evento principal. No começo, eu estava com medo de que Dolph estivesse lesionado por causa dos gritos, mas aparentemente estava tudo bem e o Bron parecia mais nervoso do que o normal e talvez o botch do começo tenha gerado isso. Toda a coisa envolvendo Robert Roode não me agradou, já que ele foi expulso pelo árbitro e mesmo assim voltou para impedir que Bron conquistasse o cinturão. A vitória improvável do Ziggler poderia ter gerado bons frutos, mas dois dias depois o Bron derrotou ele no pelo cinturão, ou seja, a luta nem precisava ter existido.

Vencedor: Dolph Ziggler – Nota: 6,5/10

Na minha visão, a nota geral do evento foi 6,5. Não foi o melhor especial do desde que entrou na fase 2.0, mas foi muito único porque protagonizou o retorno do show para as grandes arenas. Muitos dos participantes do evento ainda vão evoluir bastante e é bom colocá-los em frente a grandes públicos, mesmo que eles ainda errem algumas coisas simples. 3 lutas por título acabaram não valendo de nada nos dias seguintes e o evento definitivamente não será lembrado pela qualidade dos combates.

Concorda ou não ? Coloca sua opinião aí nos comentários e bora discutir saudavelmente, belezinha ? Até mais!

Contato | Politica de Privacidade | Sobre nós | Equipe | Anuncie
Copyright (c) 2010-2022 Wrestling Noticias - Todos direitos reservados