Ex: Aj Styles, CM Punk, WWE, All Elite Wrestling e etc...

Lutadores liberados pela ROH com o hiato – Pra onde devem ir?

Como surpreendentemente anunciado pela Ring of Honor recentemente, todos os lutadores sob contrato com a empresa serão liberados no final do ano e todos terão novos caminhos pra trilhar, se considerarmos que a empresa de fato não voltará (duvido, aposto que volta). Porém, que tal pensarmos em um cenário hipotético onde a empresa não volta e aí fica todo mundo livre? Pra onde eles vão?

Vale ressaltar que aqui nós não iremos considerar o valor dos salários e nada disso, vai ser mais uma brincadeira “utópica” pra ver onde cada um se encaixaria melhor. Não citarei o Jay Lethal, afinal, ele já assinou contrato com a e é o primeiro da galera que já tem casa garantida. Sem mais delongas, bora lá:

Adam Brooks – PWG/RevPro/MCW

Vale ressaltar que Brooks não tem aparecido muito na ROH, em parte pela pandemia e tudo mais, mas ele ainda está sob contrato. Pensando somente nas coisas da região australiana, Brooks e a MCW já se conhecem há bastante tempo. No lado estadunidense, não vejo o Brooks como um cara muito do main stream, então acho que indys como PWG e RevPro seriam interessantes pra ele.

Amy Rose – OVW

Pode ser até estranho ver a Amy Rose aqui, já que ela tem sido utilizada como manager nos últimos tempos, mas não podemos esquecer que ela também luta e é por isso que eu a coloquei na OVW. A Ohio Valley Wrestling vem passando por uma “renovação” na última década e os nomes de hoje em dia não são tão famosos assim. Amy, mesmo não sendo tão conhecida, ainda seria a mais famosa do roster e ajudaria em sua divulgação, algo muito importante.

Bandido – AEW/AAA

Bandido é, de longe, um dos lutadores mais talentosos que a Ring of Honor terá em mãos por alguns dias e, ele ainda possui o ROH World Title e o defenderá na TERMINUS em breve. Se imaginarmos que a ROH não voltará, eu creio que a melhor escolha pra ele seria a AEW, afinal, ele tem talento o suficiente pra se destacar e eu não dúvido que ele fosse receber pelo menos o TNT Title. Já no caso da AAA, ele já mencionou que ainda quer o Mega Title do Vikingo e gostaria de lutar por lá mais vezes, então…

Brian Johnson – MLW/

Ou Mecca, tanto faz. Se tem uma coisa que a MLW precisa no momento são lutadores que possam agregar em alguma coisa e, considerando o roster no momento e como alguns lutadores podem acabar saindo, Johnson é um nome a ser considerado. O estilo “puro” dele é bem construído e os fãs têm um certo apreço por ele. Resta saber se ele vai onde o EC3 for pra continuar a feud ou não. Mesma coisa pra NWA, aquela empresa precisa de gente o mais rápido possível.

Brody King – AEW

Eu já quero deixar claro que, pra mim, não existe outra opção pro Brody que não seja a AEW, principalmente se considerarmos que ele é um bom amigo do e aquela promo do Black citando “King” em um dos shows recentes praticamente garante que ele vá pra lá. No máximo algumas aparições esporádicas na NJPW como já fazia, mas é 100% AEW.

Chris Dickinson – NJPW/GCW

Não vamos considerar que o Chris tá lesionado, afinal, ele já deve voltar por volta do começo de 2022 e já podemos pensar em um lugar pra ele. Assim como as aparições esporádicas do Brody na NJPW, o Chris também faz isso e eu acho que ele se encaixa bem no STRONG, além de que, pensando alto, poderia servir pra uma World Tag League ao lado de alguém. Pelo lado das indys, continuaria com ele na GCW porque combina também.

Dak Draper –

Pra quem não sabe, o Dak aqui já passou pelo da lá por volta de 2013 e na época ele era total desconhecido e não teve tantas oportunidades. Hoje, Dak é basicamente o que a procura pra “criar” novas estrelas: Alto, forte e sabe fazer promos, é o necessário. Sem contar que ele é bem similar ao Duke Hudson e, entre os dois, prefiro o Dak.

Dalton Castle – IMPACT

Com seu estilo único e personagem bem diferenciado, muitas pessoas já se questionaram se Dalton iria se aventurar por outras empresas algum dia além da Ring of Honor algum dia. Mesmo querendo vê-lo na AEW por pelo menos uma noite e até mesmo na WWE, creio que a IMPACT é a melhor escolha pra ele. Não só pela necessidade de reforços, mas porque ele também seria único por lá.

Danhausen – AEW

Se eu já estava certo sobre a ida do Brody para a AEW, o Danhausen também não fica pra trás. Ele interage com os talentos da empresa nas redes sociais, Cody Rhodes gosta dele e o próprio já admitiu estar de olho no rapaz, então eu apostaria muito na ida dele pra lá. Sem contar que um segmento de comédia entre ele e Orange Cassidy valeria muito.

Dante Caballero – AJPW

Nós falamos muito sobre a NJPW todos os dias e esquecemos de como existem outras empresas boas no Japão, incluindo empresas que têm poucos lutadores do ocidente e são verdadeiros mares de oportunidade pra quem vem de fora. Dante, parte do futuro da ROH, poderia procurar por algo na tão pouco falada AJPW, afinal, ela serve como vitrine do Japão também, especialmente para NJPW e NOAH.

Delirious (E a Incoherence) – NJPW

Se formos falar de trios e não citarmos a NJPW, é simplesmente uma blasfêmia. Delirious, Hallowicked e Frightmare são veteranos de guerra e já passaram por diversos lugares, mas na maior empresa do Japão é sempre algo a ser lembrado. Com os grupos sendo focados mais em duplas do que tudo, ter um trio que realmente é um trio poderia gerar alguns combates e momentos muito legais por lá.

Demonic Flamita – MLW

A MLW passou a investir no mercado mexicano com a “criação” da Azteca Underground e conseguiu alguns bons lutadores em parceria com a CRASH, mas poucos além de Aramis, Mil Muertes e Arez estão sob contrato. Pensando sobre isso e visando fortalecer essa área, por que não ir atrás de um dos mexicanos mais talentosos da indústria ? Além de servir como um ótimo heel, Flamita tem talento de sobra e pode fazer qualquer coisa no ringue.

Dragon Lee e RUSH – /AAA

Calma, vamos por partes. Primeiro, Dragon Lee e Dralistico já apareceram na AAA e parece que vão continuar lá por um tempo, logo, não vejo motivo pro RUSH também não lutar por aquelas bandas. Já no caso da WWE, RUSH novamente negociar sua ida. Sabemos que a oportunidade já existiu e a pedida salarial do lutador foi grande, mas a cortou tantos lutadores recentemente e RUSH está basicamente “desempregado”, então acho que poderia ser uma possibilidade.

EC3 – IMPACT/Control Your Narrative

O EC3 é um caso curioso pela maneira como o personagem dele funciona. Acho um bom lutador ? Não, mas tem gente que gosta. No caso de uma volta para a IMPACT, acredito que duraria mais tempo do que a última e ele teria coisas pra fazer, como ensinar outros lutadores “esquecidos” a controlarem suas narrativas. E falando em narrativas, creio que ficar focado no projeto de mesmo nome é uma possibilidade muito grande ao lado de Adam Scherr e outros nomes.

Eli Isom – IMPACT

Se formos seguir o que aconteceu com EC3 e Eli no Final Battle, então provavelmente ele irá para a IMPACT ou se juntará ao projeto do Control Your Narrative. Levando em conta que uma empresa melhor estabelecida pode gerar mais coisas, acredito que uma ida para a IMPACT é bem mais possível do que parece, especialmente considerando que Eli é um lutador promissor.

Eric Martin – OVW

Se você quiser uma empresa que tem pouquíssima mídia e mesmo assim consegue te conectar com outras boas empresas, a Ohio Valley Wrestling é sempre uma boa pedida. Eric é um dos prospectos da ROH e a carreira dele tem um grande futuro, seria uma boa aposta pra uma empresa que busca se aprimorar e se revitalizar.

Flex Simmons – OVW

Assim como o bom Eric ali em cima, Flex também representa o futuro da Ring of Honor e pode se beneficiar de uma ida para a Ohio Valley Wrestling. Nome pouco conhecido em uma empresa com lutadores tentando a sorte grande, Flex pode se encaixar aí muito bem e, quem sabe, dar passos ainda maiores daqui pra frente.

Flip Gordon – MLW

Gordon foi diversas vezes apontado como algo grande e realmente parecia ser, mas o mal uso do heel turn o prejudicou e agora ele voltou ao “normal”. Com isso em mente, nada melhor do que um recomeço numa empresa em ascensão que é a MLW. A divisão Middleweight saberia usar um nome como o dele, principalmente pelo quão talentoso esse cara ainda é. Seria um grande acerto, podem apostar.

Jenny Rose – NWA

Poucas pessoas se lembram com frequência, mas a NWA também tem uma divisão feminina que está sempre aberta para novas integrantes. Rose tem certa experiência no ramo e um lugar como a National Wrestling Alliance poderia ajudá-la a se solidificar ainda mais na indústria, sem contar que ela pode ser muito bem usada em rivalidades contra Jennacide, Paola Blaze e até mesmo a atual campeã, Kamille.

Joe Hendry – IMPACT

O cara voltou a aparecer na Ring of Honor recentemente e está simplesmente fibrado, em grande forma, então não podemos deixar isso de lado. Hendry poderia ser um bom candidato para a e tudo mais, mas eu não confiaria tanto quanto eu confio em outros lutadores, é por isso que eu sugiro a IMPACT. Além de já ter passado por lá, Joe receberia um push extremamente rápido e protagonizaria grandes lutas, zero duvidas.

Joe Keys – NWA

Joe Keys é, talvez, o prospecto mais talentoso da Ring of Honor em um bom tempo. Mais preparado do que alguns de seus companheiros, Joe pode se aventurar por lugares mais famosos e tentar a sorte em uma empresa ascendente como a NWA (mesmo que seja uma empresa bem velha). Em uma divisão que conta com nomes como Da Pope, Cyon, Judais, Chris Adonis e tantos outros, Joe pode não só adquirir grande experiência como também receber um bom push no meio desses caras.

Jonathan Gresham – AEW/NJPW

Gresham é, sem dúvidas, um dos melhores lutadores técnicos que existem no mundo hoje em dia. Explosão, força e golpes incríveis, esse cara é simplesmente fenomenal e merece uma empresa que também. Mesmo que eu ache que ele vá focar bastante na TERMINUS daqui em diante, eu não nego que vê-lo na AEW ou NJPW seria fenomenal. Gresham vs. Bryan Danielson, Shingo Takagi, ou Zack Sabre Jr, já pensou nisso ?

Josh Woods – MLW/NJPW

Josh Woods é uma certa revelação da Ring of Honor, o cara tem um talento genuíno ali e existem algumas lutas que ele pode ter muito em breve se continuar trabalhando assim. Mas, acima de tudo, ele também precisa passar por lugares menores primeiro e minhas sugestões são MLW ou NJPW STRONG, onde ele poderia ganhar um bom aprimoramento no LA Dojo e trabalhar com alguns grandes nomes.

Kellyanne – GCW/MCW

Com seu estilo bruto e personalidade forte, Kelly precisa de uma empresa que possa extrair o melhor desse lado extremo que ela tem e a GCW é a melhor empresa pra isso no momento. Mas também temos a MCW como opção, afinal, Kelly pode decidir ficar por mais tempo na Austrália e a empresa pode proporcionar um bom palco pra que ela mostre mais de suas habilidades.

Ken Dixon – NWA

Assim como Joe Keys, Ken Dixon é um prospecto da Ring of Honor que já tem uma certa experiência e pode se arriscar em lugares mais conhecidos, exemplo da NWA. Dixon não chegaria com a pressão de ser uma estrela famosa e poderia ir se adaptando na empresa aos poucos, começando pelas recorrentes Battle Royals, entrando em feuds menores e posteriormente chegando aos grandes nomes da empresa e aos cinturões.

Kenny King – IMPACT

Diferentemente da Faccion Ingobernable de RUSH e Lee, eu não vejo o King seguindo os caras pras empresas citadas. Pra mim, o King precisa ir pra IMPACT, ou melhor, retornar pra lá. O cara já foi X-Division Champion e, se considerarmos que Laredo Kid, Alex Zayne e El Phantasmo são de outras empresas, as vagas de lutadores daquela divisão estão abertas pra mais alguns caras talentosos. King é um desses caras, ponto.

LSG – NWA

Um verdadeiro veterano de guerra, LSG tem um certo talento a ser mostrado e a NWA pode se beneficiar disso com sua nova divisão Junior Heavyweight. LSG não foi bem usado na Ring of Honor e mesmo assim apresentou bons combates, então acho que a NWA poderia usá-lo em alguma coisa, nem que seja pra elevar algum jovem como Darius Lockhart ou algum veterano mais conhecido como Austin Aries.

Maria Manic – WOW

Maria Manic é literalmente insana e é bem diferente das lutadoras que você conhece, então precisamos pensar em algo diferente pra ela. Com a volta do Women of Wrestling em breve nas mãos de AJ Lee e contando com Tessa Blanchard, Maria poderia ser um bom nome a ser aproveitado pela produtora do show, especialmente se quiserem um personagem bem único dentre todos os que serão criados.

Mark Haskins – OTT

Já que Mark é o atual OTT World Champion e seu reinado mal começou, por que não aproveitar ? Mark tem um personagem diferente da maioria e é talentoso no ringue, mas a OTT precisa mais dele do que as outras empresas. Quando os eventos voltarem com 100% de público lá e ele ainda estiver com esse cinturão, conseguem imaginar o tamanho dos pops ou vaias que ele vai receber ? Isso não pode ser cancelado.

Max The Impaler – IMPACT

Max apareceu na Ring of Honor pouco tempo atrás mas teve uma boa participação no torneio pelo Women’s Title. Max tem um visual único que funcionaria bem na IMPACT e poderia facilmente começar a rivalizar com quase qualquer pessoa no roster, mas eu pessoalmente acho que a primeira rivalidade seria contra Jordynne Grace. Falando de aliados, que tal Decay ?

Miranda Alize – MLW

Se tem uma coisa que a MLW precisa no momento com a criação de uma divisão feminina é de lutadoras talentosas e, adivinhem só ? Miranda é uma delas. Ela chegou na final do Women’s Title com uma baita campanha e protagonizou um grande combate contra Rok-C, sem falar em como o personagem heel dela ajuda a realmente não gostarmos dela e ao mesmo tempo a adorarmos. Miranda tem o necessário pra qualquer divisão feminina, mas talvez a MLW precise mais.

PCO – GCW

Como bem anunciado pelo próprio PCO, ele já estava saindo da Ring of Honor de qualquer forma. A GCW não perdeu tempo em anunciá-lo para futuros eventos e à essa empresa que eu acho que ele pertence. PCO tem uma idade avançada e mesmo assim gosta de fazer combates perigosos, então nada melhor do que mandá-lo pra indy mais doida do momento e encerrar sua carreira de maneira grandiosa (possivelmente tendo lâmpadas sendo quebradas em sua cabeça).

PJ Black – MLW

Se a não tivesse estragado o retorno do John Morrison, talvez eu cogitasse mandar o Black pra lá, mas a gente sabe o que aconteceu. Levando em consideração as empresas em pauta e quem poderia usá-lo bem, acho que a MLW é a melhor resposta. A divisão Middleweight não tem tantos nomes grandes no momento e o Black, mesmo não sendo tão jovem, é um nome reconhecido no ramo e tem experiência de sobra. Ele só teria que dividir o espaço de lobo com Davey Richards, mas aí tudo bem.

Quinn McKay – IMPACT

McKay, pelo que tenho visto, geralmente tem sido uma entrevistadora nos bastidores, mas também tem lutado, embora ela tenha começado a lutar em 2018, a IMPACT seria um ótimo lugar para ela ir. Com várias funções, podemos ver ela começando nas entrevistas nos bastidores e, eventualmente, voltando aos ringues e enfrentando alguma antagonista de peso como Deonna Purrazzo, Tenille Dashwood e etc.

Rayo – OVW/MLW

Relativamente novo na indústria, Rayo veio do Peru e treinou na MCW, mas creio que podemos pensar em outras coisas pra ele. Buscando espaço na indústria, Rayo poderia ser um lutador importante pra OVW com seu maior preparo e um grande talento. Mas querendo apostar em algo grande, creio que a MLW, que já foi atrás de talentos desconhecidos, o usaria bem na Azteca Underground ou em sua programação normal.

Rey Horus – MLW/CMLL

Seguindo o exemplo do Flamita mas ainda mais conectado, Horus já fez parte da antiga versão da Azteca Underground, a Lucha Underground. Chegar lá seria uma forma de relembrar as raízes e o talento dele permite isso. Mas também colocando outra opção na jogada, existe a CMLL, afinal, é uma empresa mexicana menos falada do que a AAA e também precisa de reforços, e o Rey é um deles.

Rhett Titus e Tracy Williams – NWA

Sabemos que tanto Tracy quanto Rhett são lutadores talentosos no estilo técnico e tudo mais, mas eles não são os mais famosos da Foundation e o nome deles não é tão reconhecido quanto deveria ser. É por isso que, levando em consideração a participação do Rhett no Hard Times contra Austin Aries, a NWA poderia ser uma boa casa pra ambos os lutadores realizarem pelo menos um recomeço nas carreiras, algo diferente.

Rok-C –

A mais nova sensação do momento fez testes para a recentemente e preciso confessar que eu não ficava tão animado com algo assim há bastante tempo. Rok-C, assim como o Dak lá em cima, é basicamente tudo o que a WWE procura numa nova estrela, assim como em Cora Jade, só que melhorado. Ela tem o que é necessário e tem só 19 anos, é tempo o suficiente pra moldá-la do jeito certo e criar uma superstar.

Session Moth Martina – AEW/IMPACT

Martina é a vida da festa, e tem muita experiência, tendo lutado por mais de uma década em inúmeras promoções incluindo wXw e STARDOM. A AEW seria um ótimo lugar para ir e ter uma grande rivalidade com e ao lado de Jamie Hayter, já que as duas eram ex-colegas de trabalho na STARDOM. No caso da IMPACT, eu aposto que Martina chegaria sendo uma das mais importantes, o que essa mulher pode atrair de mídia é brincadeira.

Shane Taylor Promotions – NJPW

Quando um membro da família vai pra uma parte, o resto todo vai. É assim que eu considero os 5 membros da STP, uma grande família e eu dúvido muito que eles se separem na busca por uma nova empresa. É por isso que, visando o fato de que temos um trio no grupo, talvez a NJPW fosse um bom lugar. E não só isso, mas se sonharmos bem alto e de maneira quase impossível, que tal um Guerrillas of Destiny vs. Moses e Kaun ? Me parece interessante.

Silas Young – NWA

Se você quer uma empresa que tenta voltar às origens lá dos anos 70/80, provavelmente é a NWA. E não somente isso, Silas também é da velha guarda e o personagem dele é um claro esteriótipo dos “vilões” daquela época, então por que não juntar o útil ao agradável ? Mesmo que Silas se veja na AEW, ele seria bem mais útil na NWA. Se até o Tyrus conseguiu um cinturão relativamente importante na NWA, o Silas também conseguiria.

Sledge – GCW

Sledge não é chamado de “Metalhead Maniac” à toa, o cara é insano no ringue e se dá bem quando os combates envolvem algum tipo de arma. Agora, pensando numa empresa indy que faz isso com maestria e está sempre em busca de novas pessoas, a GCW larga na frente como a mais apropriada pra isso. Deem uma cadeira na mão desse homem e vejam como ele vai quebrar ela na cabeça de alguém.

Slex – MCW/NWA

Veterano da Austrália e recém chegado na Ring of Honor, Slex já provou seu talento contra nomes como Brody King, Bandido e Flip Gordon, mostrando que o cara sabe o que faz. Pensando nisso, podemos considerar palcos como a NWA pra chegada de um veterano Slex, além de uma volta para a MCW que é basicamente a casa dele. Vale lembrar da grande rivalidade que ele teve com Adam Brooks, então as opções ali em cima também valem pra ele se quisermos ver mais disso.

Sumie Sakai – Aposentadoria

Sakai é da velha guarda e passou basicamente a carreira inteira na Ring of Honor, porém, aos 50 anos, acho que é hora de parar. Ela já teve os momentos que precisava, já fez os grandes combates que merecia e agora o certo é descansar, a carreira já foi bem feita. Talvez ainda pudesse ir para a NWA ou passar por alguma indy, mas acho melhor só encerrar por aqui e aproveitar a vida daqui em diante.

The Allure – NWA/IMPACT

Se tem uma divisão de duplas femininas na empresa em questão, então é pra lá que Angelina Love e Mandy Leon precisam ir. Ambas as empresas sugeridas oferecem isso e as duas têm seus prós em consideração: Angelina já passou pela IMPACT e Velvet Sky, antiga aliada, está atualmente na NWA. São duas opções que podem beneficiar as lutadoras com tempo de TV, uma grana considerável e tudo mais.

The Bouncers – NWA/NJPW

A questão aqui não é nem onde eu gostaria de vê-los, mas sim com quem eles estão negociando. Como dito pelo próprio Bruiser, ele e Brian estão negociando com ambas as empresas e são as opções mais viáveis possível para ambos. Acredito que na NWA eles teriam um destaque maior e seriam bem mais utilizados, mas também não deixo passar que eles seriam uma dupla bem diferente na New Japan, então é uma possibilidade também.

The Briscoes – AEW/IMPACT/NWA/NJPW

Nesse caso aqui são tantas opções que eu mal consigo escolher qual a melhor pra eles. Todas tem pontos atrativos para a dupla: Eles já passaram pela NWA e podem aproveitar o fato de serem a dupla mais famosa dali. Também já passaram pela NJPW e a empresa pode se beneficiar pra dar uma renovada em suas duplas. Na IMPACT nem se fala, eles seriam a dupla de peso pra tirar os títulos dos Good Brothers. Na AEW tem a FTR e a rivalidade só começou, tem tudo pra esquentar ainda mais se forem pra lá.

OGK e Maria Kanellis – /IMPACT

Antes de tudo, vamos separar em Matt Taven, e Mike Bennett e Maria Kanellis. Primeiro o Taven, o próprio já comentou recentemente sobre a possibilidade de ir para a e eu não dúvido disso, ele é um lugar que poderia se encaixar em alguma parte dali, é a sensação que me passa. Já Mike e Maria, creio que ir para a IMPACT seria a solução mais segura pra eles e um palco onde eles teriam um bom destaque como da última vez.

The Righteous – IMPACT

Os 4 membros do grupo como um todo são bem diferentes um do outro e BATEMAN já faz aparições recorrentes na NJPW, então em algum caso ele poderia ser o único a seguir um caminho diferente. Já os outros 3, bom, eu acho que eles se encaixariam na IMPACT, principalmente em uma rivalidade pra lá de estranha com a Violent By Design. Vita também é boa lutadora solo, então poderíamos ter alguém na rota do Knockouts Title.

Tony Deppen – GCW/PWG

Assim como Chris Dickinson, Tony é um lutador que combina muito com as indys. Não importa pra onde ele vá, eu duvido muito que ele aceite um contrato que não o deixe passar pelo cenário independente de vez em quando, então escolhi algumas empresas onde ele se destacaria. O vemos regularmente na GCW sendo o Tony de sempre e agora que a PWG voltou com força total, meus amigos, alguém o segure.

Trish Adora – WWE

Pensando um pouco além, Trish já passou pelo NXT da WWE em meados de 2018 e só teve uma luta contra Kairi Sane, mas de lá pra cá evoluiu muito e é uma das melhores lutadoras do cenário indy. Alguns vão se questionar, mas Trish ainda é relativamente pouco conhecida no cenário e a WWE conseguiria moldá-la ao mesmo estilo que querem que os novos lutadores do NXT sejam. Teriam uma verdadeira jóia em mãos e eu não estou exagerando aqui.

Will Ferrara – OVW

Will, assim como tantos outros, nunca teve tanto destaque assim na Ring of Honor e precisa de um espaço pra realmente construir quem ele é do zero, então por que não a Ohio Valley Wrestling ? Lutadores pouco conhecidos, vários a serem aprimorados e tudo mais, Will poderia ter um bom destaque por ali. Mesmo sendo um veterano desde 2006, é pouco conhecido no geral.

World Famous CB – NJPW

Talvez você o conheça como Cheeseburguer ainda lá na época da parceria da ROH com a NJPW, e ele teve bons momentos contra os lutadores japoneses. Não só isso, CB lutou em eventos da NJPW e se saiu bem, chegando a enfrentar e os Young Bucks. Talvez entrando em storylines contra lutadores mais velhos como Satoshi Kojima ou Ryusuke Taguchi, ou até mesmo participando do STRONG, CB poderia gerar alguns combates bem interessantes.

Antes de terminar, decidi não citar a galera que não tem contrato oficialmente (Homicide, Willow Nightingale, etc) e lembrando que a questão econômica não está em pauta, vamos todos imaginar que as indys são ricas e tá tudo certo.

E aí, concordam com as empresas citadas ? Caso não, pra onde você mandaria essa galera e por quê ? Fala aí pra gente nos comentários e até mais!

Contato | Politica de Privacidade | Sobre nós | Equipe | Anuncie
Copyright (c) 2010-2021 Wrestling Noticias - Todos direitos reservados