Ex: Aj Styles, CM Punk, WWE, All Elite Wrestling e etc...

Melhores lutas na história do NXT TakeOver

Na noite do próximo domingo, dia 22 de agosto, a WWE realizará mais uma edição do , sendo esse o evento de número 36 da marca. Com tantos outros eventos passados, o que não falta são momentos incríveis e lutas memoráveis pra que possamos sempre relembrar, inclusive, hoje veremos aqui algumas das melhores que já aconteceram nos grandes eventos da marca dourada.

As lutas não estarão em um ranking, mas serão as melhores escolhidas por mim, ou seja, no meu conceito. Citarei algumas outras assim que as que eu escolhi forem todas citadas, assim, vocês também podem comentar sobre o porquê as outras não entraram aqui. Lembrando que, não entrarão aqui lutas que aconteceram em TakeOvers unicamente do NXT UK, tem que ter acontecido em solo estadunidense. Sem mais delongas, bora lá:

Adam Cole vs. Johnny Gargano (TakeOver New York)

Gargano e Cole tiveram uma grande trilogia, porém, se você perguntasse a 100 fãs do NXT qual foi a melhor a luta em um TakeOver na história, este provavelmente levaria a maior parte dos votos. Um underdog, um heel covarde, o maior palco, incrível trabalho do ringue e o peso dramático e emocional que é tudo o que deixa isso aqui ainda melhor. 38 minutos de duração e um bom exemplo de tudo o que torna o wrestling incrível como você jamais encontrará.

Se você precisa ser convencido de sua grandeza, não precisa assistir a luta, basta ouvir as reações da crowd. Cada pessoa da arena estava envolvida com aquela luta, sentindo cada golpe e vibrando com cada escapada, foi lindo. Sem contar que o pós luta de Gargano com Candice LeRae e Tommaso Ciampa foi simplesmente incrível.

Bayley vs. Sasha Banks (TakeOver Brooklyn)

Se houve um momento em que o wrestling feminino chegou de vez na WWE, foi este. Os blocos de construção já existiam há muito tempo, mas a forma final precisava de um holofote e, no Brooklyn, Banks e Bayley fizeram o que foi necessário. Foi o primeiro TakeOver longe da Full Sail e, na época, parecia gigantesco. Enquanto e eram o evento principal no papel, essas duas eram a real atração principal.

O maior elogio que você pode fazer pra essa luta é que as pessoas pararam de falar sobre como ‘essa foi uma ótima luta para uma luta feminina’ e como foi apenas uma ótima luta, fim da história. Sem falar na história que essas duas lutadoras carregam desde antes disso, deixando cada luta ainda mais significativa.

Pete Dunne vs. Tyler Bate (TakeOver Chicago)

Para aqueles que sabiam o quão bons esses dois eram antes de pisar em Chicago, a qualidade insanamente alta desta luta foi uma ótima surpresa. Esta foi uma luta absolutamente sensacional que deu credibilidade ao título e à divisão do Reino Unido em todo o mundo. Foi aquela rara luta que foi conduzida intimamente pela luta técnica, mas também liderada pelos personagens de ambos os homens. O campeão com coração de leão e o desafiante malvado que conseguiam ficar em pé de igualdade, mas só Dunne foi capaz de sair por cima.

A marca NXT sempre funcionou melhor como uma vitrine de talentos que tinham tudo a provar, mas também uma quantidade incrível de talento para mostrar. Nunca dois talentos menos conhecidos (nos EUA) receberam um destaque tão forte como esses dois nessa luta.

DIY vs. The Revival (TakeOver Toronto)

Se American Alpha vs. The Revival foi o princípio da divisão de duplas do NXT, essa luta aqui foi o ápice. O maior triunfo da Revival (atual FTR na ) foi reinstalar os valores da luta de duplas da velha escola e, nem preciso falar que eles conseguiram mais do que isso com a DIY, né ?

A estrutura dessa luta foi maravilhosa. O Shatter Machine colocou a Revival na liderança por 1 a 0 até que um Combo de Gargano e Ciampa empatasse a luta. Ambas as equipes colecionaram near falls e momentos de tirar o fôlego antes que uma submissão dupla encerrasse a luta. Ver cada membro da Revival incitando o outro a não desistir apenas acrescentou à poesia pura pra finalizar com chave de ouro.

American Alpha vs. The Revival (TakeOver Dallas)

Lembram de quando todos os eventos de nível PPV do NXT começavam com uma luta de duplas emocionante e marcante ? O NXT TakeOver Dallas reviveu essa tradição de maneira incrível com esses quatro rapazes aqui. Com uma rivalidade que lembrava muito a entre Freebirds e Von Erichs, parecia adequado finalmente coroar o time babyface super-over de Jason Jordan e Chad Gable.

Estas duas equipas foram realmente as primeiras de uma linha de fantásticas duplas promovidas pelo NXT e é uma pena que nenhuma das duplas esteja ativa na WWE hoje em dia. Babyfaces idolatrados, heels odiados e duas duplas que colocar seu nome no mapa, uma verdadeira aula de pro-wrestling.

Johnny Gargano vs. Tommaso Ciampa (TakeOver New Orleans)

A intensidade dessa luta que guardava tanto rancor entre os participantes é simplesmente inacreditável. De longe a maior e melhor feud da história do NXT, sem discussão, tendo essa luta aqui como o maior destaque.

Com Gargano banido do NXT após derrota para , a luta foi disputada como Unsanctioned e a dupla tirou vantagem no mesmo prédio em que a rivalidade começou no ano anterior. A luta foi brutal com cada golpe, com os pescoços de ambos recebendo uma punição aterrorizante, forçando o desconforto em cada fã assistindo. A vitória de Gargano trouxe mais alívio do que felicidade, já que o negócio foi brutal.

Pete Dunne vs. Walter (TakeOver New York)

685 dias. Esse foi o período de tempo que Pete Dunne se manteve como NXT United Kingdom Champion antes de conhecer Walter. A partir do momento em que a sensação austríaca fez sua grande entrada no primeiro NXT UK TakeOver naquele ano, era simplesmente uma questão de quando ele pegaria o cinturão ao invés de se.

Todos nós esperávamos que a luta fosse brutal e realmente foi. Foi um confronto demorado que alguns podem ter pensado que era um pouco lento até a última parte, mas aí depende de cada olhar. Os dois se anularam com golpes incríveis e aguentaram ao máximo até que apenas Walter permanecesse de pé. Pro-wrestling europeu em sua melhor fase.

vs. Shinsuke Nakamura (TakeOver Dallas)

Mesmo que nada estivesse em jogo em termos de título, pode ser o momento mais crucial na história do NXT, significando como o fez, a transição da primeira fase da marca, a fase de desenvolvimento, para seu futuro brilhante como uma vitrine dentro da WWE para grandes artistas independentes de todo o mundo.

A energia dessa luta era palpável desde o momento em que Zayn fez sua entrada. A multidão ficou pasma quando Nakamura fez sua entrada e ouvimos pela primeira vez as icônicas notas de violino presentes em sua música. Esses dois fizeram uma luta que você raramente verá algo igual. No final, a velha guarda do NXT abriu espaço para a nova e, o veterano Nakamura se sobressaiu.

Andrade vs. Johnny Gargano (TakeOver Philadelphia)

Se você pudesse refinar e engarrafar a essência real do pro-wrestling, essa luta seria o resultado final. Dois dos melhores da marca e da empresa, se juntando para uma disputa pelo título que era baseada na pura competição e não em questões pessoais. A própria luta seguiu esse tema, parecendo mais um verdadeiro esporte do que qualquer luta na história do NXT.

Esses dois homens queriam ser os melhores e funcionou. Nunca devagar, a luta começou de uma maneira logicamente medida. Ambos os homens estavam sentindo um ao outro e construíram seus ataques a em ações que funcionaram ou não no início da luta. Nem um fragmento de movimento desperdiçado ou uma única ação que o tirou do momento. E o fato de Gargano não ter vencido essa luta, cara, foi só mais um motivo pra esse cara ganhar ainda mais apoio do público.

Undisputed Era vs. Team Ciampa (TakeOver WarGames 2019)

A WarGames masculina no evento de 2019 foi a que, dentre todas, provou realmente qual é o nível que essa estipulação carrega dentro das duas jaulas de aço ao redor do ringue. A Undisputed Era foi pra luta como uma força unida contra quatro caras que tinham inimigos em comum, o que era conveniente para uma união momentânea.

Kevin Owens foi a surpresa da noite, recebendo um dos maiores pops do ano e da história do NXT. A luta em si toda bem produzida e bem executada em toda a sua extensão e, o final da mesma com Ciampa se jogando com Cole em uma mesa foi um dos melhores pontos.

6-Man Ladder Match (TakeOver New Orleans)

A beleza desta luta estava em sua mistura de ingredientes. Foi perfeitamente equilibrado entre high-flyers, brawlers, gigantes, caras menores e tudo o mais que você precisa para criar uma luta eficaz desse tipo. Além do mais, cada homem nesta luta veio com tudo para fazer com que o público soubesse quem eles eram.

foi a estrela em termos de grandes momentos, mas como ficou provado várias vezes, Adam Cole foi o ingrediente secreto que fez essa luta ir além. Enquanto todos os outros lutavam, Cole desempenhou seu papel de heel furtivo com perfeição. Ele não recorreu a ficar fora da ação, mas apenas observe como ele deliberadamente se mantém fora do perigo e deixa os outros cinco prejudicarem um ao outro e a si próprios, conquistando o prêmio por último.

Finn Bálor vs. Neville (TakeOver Rival) / Finn Bálor vs. Kevin Owens (TakeOver Brooklyn) / Johnny Gargano vs. Tommaso Ciampa (TakeOver Chicago II) / Neville vs. Sami Zayn (TakeOver R Evolution) / Asuka vs. Ember Moon (TakeOver Brooklyn III) / Bayley vs. vs. vs. Sasha Banks (TakeOver Rival) / Samoa Joe vs. Finn Bálor (TakeOver The End) / Tommaso Ciampa vs. Aleister Black (TakeOver Phoenix) / Aleister Black vs. Johnny Gargano (TakeOver WarGames 2018) / Adam Cole vs. Johnny Gargano (TakeOver XXV) / Adam Cole vs. Tommaso Ciampa e Broserweights vs. Undisputed Era (TakeOver Portland) / Undisputed Era vs. Team McAfee (TakeOver WarGames 2020) / Johnny Gargano vs. Ricochet (TakeOver Phoenix) / Charlotte Flair vs. Io Shirai vs. (TakeOver In Your House 2020)

Até mais!

Contato | Politica de Privacidade | Sobre nós | Equipe | Anuncie
Copyright (c) 2010-2021 Wrestling Noticias - Todos direitos reservados